Desabrigados da Favela Bandeira 1

Foto: Ratão Diniz

Foto: Ratão Diniz

 

Desabrigados por conta do incêndio ocorrido no dia 15 de maio de 2013, os moradores da favela Bandeira 1, em Del Castilho não tem pra onde ir. Neste momento estão em casas de parentes, amigos, igrejas e barracos que ainda restam na própria favela.

Foto: Léo Lima

Foto: Léo Lima

Hoje pela manhã, recebemos a notícia que a prefeitura estaria indo ao local para remover os barracos que ainda permaneciam de pé e que logo serviam de abrigo para os demais. Chegando ao local, nos deparamos com responsáveis da subprefeitura, policiais, agentes de “conservação”

Foto: João Lima

Foto: João Lima

O agente da subprefeitura, que não quis ser identificado, alegou que o terreno teria sido condenado por área de risco. Ele, ou melhor, o Sr Orlando Erdite de Jesus, expôs a todos que tinha autoridade para mandar demolir todos os barracos.

Os moradores, que já residem no local há mais de 15 anos, por sua vez estavam revoltados! Segundo a vice-presidente da ass. Cristiane Roque,uma demanda de cheques para o aluguel social seria entregue logo após os cadastramentos, porém, 250 pessoas da favela, somente 21 pessoas receberam o auxílio, de R$ 400,00, mesmo todas estando devidamente cadastradas.

Foto: Edmilson de Lima

Foto: Edmilson de Lima

O cenário era desastroso!!! São telhas, madeiras e muitas cinzas pelo chão. Mães com cinco e seis filhos, sem terem remédios, fraldas, alimentos e roupas. A convivência com esgoto a céu aberto traz sérios riscos a saúde, assim como os ratos e baratas que circulam pelos barracos com 8 a 12 pessoas em cada.

Foto: Ratão Diniz

Foto: Ratão Diniz

Com cartazes, pedidos por justiça e muita raça, os moradores fizeram um protesto simbólico e pacífico no lugar onde ficavam as casas incendiadas. De maneira voluntária, alguns comunicadores informavam a todo o momento para outros colegas da mídia a situação, assim como outros órgãos públicos que lutam pelas causas do povo.

Foto: Joao Lima

Foto: Joao Lima

Depois de intenso protesto, a defesa civil chegou ao local e concedeu a doação de 50 colchões e lençóis, encaminhando o Presidente da Ass.dos Moradores até a subprefeitura da zona norte para pegar mais 50 cestas básicas.

Foto: Léo Lima

Foto: Léo Lima

No fim da tarde, todos foram embora e nenhuma demolição foi executada. Porém, os moradores esperam que algum defensor público possa ajudá-los nesse caso, pois entendem que o aluguel social ajuda, mais não resolve o problema maior das famílias. Afinal, as dificuldades serão inúmeras para encontrar uma nova casa e principalmente mantê-las depois do fim do auxílio, sem contar o risco da poeira baixar, a prefeitura fazer as demolições e alegar novos acontecimentos.

Foto: Ratão Diniz

Foto: Ratão Diniz

Os moradores da bandeira 1, não querem morar em abrigos populares, eles brigam agora por moradias de direito, dignas e de qualidade.

 

Texto Léo Lima
Veja mais em nossa galeria

Para doações:
Falar com Léo Lima (9247-5067) – Ivana Baiana (9605-0937)

Entregar na favela bandeira 1 – rua domingos magalhães, 750, del castilho/maria da graça
debaixo do viaduto do Nova América. Tratar com Kelly; Isaac; Cristiane ou Marcos (moradores)

Escola de Samba Unidos do Jacarezinho, Av. Suburbana, 2233
na portaria

Anúncios

Sobre Coletivo Favela em Foco

A história Tudo começou no ano de 2007 na favela do Jacarezinho, depois de jovens da comunidade experimentarem uma oficina de fotografia dada por Fabio Caffé e Rovenna Rosa, fotógrafos da agência fotográfica Imagens do Povo, do Observatório de Favelas. Oficina essa que fez despertar o olhar dos jovens, e assim decidiram se reunir para criar uma mídia alternativa. Documentando o dia a dia da favela do Jacarezinho, no conceito de cultura/arte e a falta delas. O projeto era financiado pelo Cenpec e o Itaú Social, nos quais disponibilizavam verba para a condução do projeto. O projeto era feito na Ong Saúde e Cidadania, na favela do Jacarezinho. Onde os jovens criavam pautas, com a intenção de criar uma revista, que seria distribuída sem custo algum aos moradores do Jacarezinho, e as comunidades próximas, além dos colégios, ongs, empresas próximas. O projeto foi batizado de “Jacarezinho em Foco” e foi criado justamente para levar informação verdadeira de um cotidiano de vida muito pouco explorado. E que essa informação fosse distribuída por outros meios de comunicação (vídeos, blogs, sites de relacionamento). Com a proposta real de mudar o estereotipo que ainda se tem da favela, e que os temas abordados nas pautas sejam vistos com mais sensibilidade. Mostrando para quem quiser ver que na favela existe sim, gente que faz e acontece, tem suas dificuldades como em qualquer outro lugar, mas vive com harmonia e felicidade no local onde nasceu, cresceu, que vive onde vive por opção, e não por necessidade. Eram 6 pautas abordadas, cada qual com sua peculariedade de informação. Os jovens se organizavam para ir nas casas das pessoas, e assim se familiarizando com os moradores da comunidade. Sendo que, depois de 2 meses de projeto e 1 edição criada, o projeto infelizmente não teve continuidade. Já que os financiadores não permaneceram devido a cláusulas no contrato onde se dizia que o financiamento só seria feito no inicio do projeto, e que logo em seguida deveria ser tocado sozinho. Ou seja um auto sustentamento no qual não foi pensado na criação do projeto. Assim sem verba, alguns do jovens do Jacarezinho disperçaram um pouco, outros por necessidade precisaram sair para arrumar emprego. Infelizmente não foi dado continuidade, mas os jovens que permaneceram focados no que queriam, não desistiram. E no ano de 2009 os poucos jovens que ainda sonhavam com o projeto, se inscreveram na escola de fotógrafos populares por intermédio do antigo e até então professor e fotógrafo Fábio Caffé. Assim foi se reascendendo a chama mais uma vez pela fotografia. Assim, sabendo da dificuldade de divulgação do até então “Jacarezinho em Foco”. O professor Fábio Caffé deu uma forcinha, e informou a revista Viração, lá de São Paulo sobre o trabalho que tais jovens haviam feito. Logo depois de 1 mês depois da conversa... surgiu o interesse da redação da revista de divulgar uma galeria de fotos dessa galera na edição. Bem, feito isso os jovens começaram a criar esperanças mais acessas novamente. E, começaram a se reunir junto com outros integrantes da escola, inclusive fotógrafos formados da própria escola, para dar continuidade no projeto. Enquanto os jovens começavam a se reunir para o que de verdade gostariam de fazer... Alguns exemplares foram enviados e apresentados aos alunos da escola de fotógrafos populares, em sala de aula. Foi ae que a emoção tomou conta de todos, e de principalmente dos jovens participantes do “Jacarezinho em Foco” era uma parte do sonho sendo realizado. O que serviu de estímulo para a galera, e depois de algumas reuniões foi criado o até então, Coletivo Multimídia Favela em Foco.
Esse post foi publicado em Favela em Foco. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Desabrigados da Favela Bandeira 1

  1. pelamoradia1 disse:

    Republicou isso em Pela Moradia.

  2. Pingback: Desabrigados da Favela Bandeira 1 | Direito à moradia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s